Vermifugação em bovinos

Os impactos causados pelas verminoses fazem com que ocorram avanços significativos na produção de vermífugos.

2 min de leitura
Atualizado há 8 meses | Publicado em 29 . Jul, 2019

O rebanho de bovinos no Brasil é extremamente vasto, onde segundo estatísticas do MAPA (Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento), em 2017 o país possuía 219,2 milhões de cabeça de bovinos e bubalinos, um dos maiores rebanhos mundiais. Amplo na variedade de raças de corte e leite, aliado ao melhoramento genético para aperfeiçoamento dos rebanhos, variáveis condições alimentares e sanidade controlada.

Há diversos fatores que podem interferir na saúde e na produção de bovinos, não somente doenças virais e bacterianas, mas também a presença de parasitas, que podem trazer prejuízos e até o óbito dos animais.

A presença de parasitas ocorre durante todo o ano, sendo a estação do inverno a mais oportuna para manifestações parasitarias. Podem ser classificados como endoparasitas (encontrados dentro dos sistemas do animal, como por exemplo, nos intestinos, coração, fígado…), e ectoparasitas (presentes na pele do animal, como exemplo o berne), possuindo diversas espécies de ambos. Os fatores climáticos, ambientais, nutricionais, manejo de pastagens, sanitários e intrínsecos ao animal são influentes para a presença das verminoses nos bovinos. Os animais da desmama, recria e as vacas no pré-parto, são as categorias mais sensíveis as verminoses. Os parasitas podem instalar-se em um ou vários órgãos, variando de acordo com seu ciclo e sua afecção.

Os animais acometidos com verminose apresentam baixo desempenho produtivo, redução no ganho de peso,atraso no crescimento, redução da taxa de fertilidade, anemias, enterites, diarreias, desidratação,podendo desencadear ainda infecções secundárias por bactérias, entre outros sinais clínicos. Diante da presença de verminose no rebanho, o tratamento indispensável é aplicação de vermífugos. Quando o rebanho apresentar sinais, é de extrema importância solicitar a visita de um Médico Veterinário, para que possa avaliar o animal, se possível fazer exames para identificar o parasita presente e assim indicar o melhor medicamento para o tratamento.

IdadeVermifugação
0 meses1ª dose aos 12 dias
1 – 12 mesesA cada 60 dias
13 – 24 mesesA cada 90 dias
+ 25 mesesDose única/ano
Vacas paridasDose única/ano
Vacas em lactaçãorealizar apenas no perído seco
Secagem de vacasUma dose
2º dia pós partoOral com descarte de 48 a 72 horas

Obs: Rotacionar princípios ativos, principalmente nos meses de mais incidência de ectoparasitas

Os impactos causados pelas verminoses fazem com que ocorram avanços significativos na produção de vermífugos, como atualmente disponível no mercado os vermífugos de amplo espectro de ação que atuam em parasitas internos e externos, sendo eficazes na eliminação das verminoses. Contudo, a importância da qualidade do produto deve ser associada à estratégia de controle parasitário utilizado sobre o rebanho e a propriedade, para manter a sanidade dos animais evitando desencadear outras doenças e evitar perdas para o produtor.