Planejamento sanitário é importante?

Entenda a importância de ter um planejamento sanitário para o seu rebanho e como ele pode reduzir doenças e prejuízos na fazenda.

2 min de leitura
Atualizado há 3 meses | Publicado em 14 . Mar, 2022

Dentro da bovinocultura, temos muitas perdas que são vindas de afecções e doenças, essas que muitas vezes podemos evitar, realizando protocolos, vacinas e manejos profiláticos em geral.

Os pecuaristas as vezes tem resistência em gastar com manejos sanitários que irão realizar prevenções, pois sãos gastos que não trazem retorno direto, porém, a produção de leite nacional, precisa atender os padrões de qualidade estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) regulamenta uma série de medidas compulsórias que visam proteger a saúde pública e promover o controle e a erradicação de enfermidades em propriedades rurais, no território nacional.

Com base nessas exigências e padrões de qualidade, um bom planejamento sanitário permite que a leiteria consiga: reduzir perdas; reduzir as chances de transmissão de patógenos que prejudicam a saúde animal e a segurança do alimento (leite e derivados) e garantir que a produção seja muito mais segura e saudável.

Dentre as principais doenças que podem comprometer o rebanho, podemos citar; as verminoses, infecções mamárias, afecções de casco as parasitoses e entre outras.


A saúde das vacas

Para manter as condições sanitárias do rebanho, é importante seguir algumas medidas, que são básicas, para isso devemos estipular um planejamento estratégico sempre visando a prevenção de ocorrências indesejadas e a correção caso precise, por isso, o manejo sanitário do rebanho é extremamente importante. Consiste em um conjunto de atividades regularmente planejadas e direcionadas para a prevenção e manutenção da saúde dos rebanhos, o que contribui para elevar a produtividade e rentabilidade do rebanho.

Para uma garantia de segurança da propriedade, os animais recém-chegados devem ficar isolados, fazendo uma quarentena, assim, permanecendo separados dos demais animais, por um período de 40 dias em condições adequadas, assim se familiarizando e adaptando com o novo ambiente em que irão permanecer.

Também, não podemos deixar de falar que todos esses cuidando se tornam ainda mais importantes com a presença de uma assistência veterinária regular, fazendo acompanhamento e desenvolvendo manejos e programas sanitários que irão preservar a saúde do animal.

É extremamente importante que a propriedade tenha serviço veterinário regular para acompanhamento sanitário do rebanho e desenvolvimento de programas efetivos de saúde. 

E para finalizar, devemos treinar e orientar toda a equipe que atua com os animais, para que saibam identificar eventuais doenças e avisar rapidamente os responsáveis para tomar decisões e assim ter um maior sucesso nos cuidados necessários.