Manejo de vacas leiteiras: cuidados essenciais para melhorar os resultados da sua propriedade

Gerar renda com leite é uma consequência de cuidados com os animais.

5 min de leitura
Atualizado há 3 meses | Publicado em 17 . Mar, 2021

Muito se ouve falar e criticar que a atividade leiteira é uma atividade agressiva, onde encontramos muitas campanhas contra o consumo de leite devido a boatos que a atividade gera desconforto e maus tratos aos animais com aptidão leiteira.

Os bovinos são mamíferos, e como principal característica possuem glândula mamária destinada à produção de leite, um dos três alimentos considerados completos, possibilitando a sobrevivência de suas crias apenas com este alimento, até que tenham capacidade fisiológica de consumir outros. 

Então vem outra crítica, que nenhum mamífero ingere leite na fase adulta. O que faz todo o sentido, pois, os mamíferos vivem um ciclo em que ficam gestantes produzem leite para alimentar a cria e logo em seguida já estão novamente na fase reprodutiva, onde precisam se preparar para alimentar outra cria, portanto acabam encerrando o ciclo de produção naturalmente e pela indisponibilidade acabam não consumindo mais o leite. 

Mas sim, tem alguns mamíferos como os gatos entre outros que consomem leite depois de adulto. São inúmeras as críticas sem fundamentos em torno da atividade, mas o que realmente acontece lá dentro só quem vive sabe e garante que os animais são bem tratados.

Hoje o mundo tem uma grande preocupação com os cuidados que devemos ter com os animais de produção. Há inúmeros estudos científicos que comprovam que animais que sofrem estresse, tem produção reduzida, além de estarem vulneráveis a problemas sanitários e reprodutivos que representam custos elevados e nenhum produtor de leite quer isso. Todo o cuidado é pouco com nossas vacas, até porque animais com aptidão leiteira são dóceis e retribuem o carinho que é oferecido a eles. 

Vamos conhecer um pouco de como realmente são os tratamentos desses animais tão importantes para a economia?

Um dia comum em qualquer fazenda que tenha produção de leite, existem rotinas diárias de manejo com os animais como: alimentar, fazer ordenha, produção, reprodução entre outros. 

Durante todos esses manejos, existe muito contato físico com os animais como é o caso do manejo de ordenha onde os produtores arrebanham as vacas até a sala de ordenha com o maior cuidado, sem gritos, sem qualquer ameaça. Aliás, as vaquinhas precisam estar plenas e calmas, caso contrário elas não irão liberar oxitocina que é um hormônio responsável pela liberação do leite.

Caso elas não tenham a liberação deste hormônio o leite não será liberado completamente e vai ocorrer a liberação forçada o que pode ocasionar danos no esfíncter (músculo localizado na ponta do teto) gerando problemas sanitários como a mastite e nenhum produtor de leite quer que seus animais sejam acometidos por mastite.



Durante este manejo os animais aguardam a sua vez para ordenha em um ambiente com disponibilidade de ventiladores, sombra e água fresca para que os mesmos possam beber. Em algumas fazendas se tem até sistema de nebulização para auxiliar no resfriamento.

Em alguns casos as vacas precisam ser conduzidas até o posto de ordenha, mas na grande maioria elas seguem voluntariamente até seu posto. Chegando a sua vez as mesmas tem seus tetos higienizados.

Este processo até o final da ordenha dura em média 10 minutos e elas seguem para alimentação. As mesmas recebem comida fresca a base de proteína, carboidrato e sais minerais que são fundamentais para a sua manutenção fisiológica.

Após essa pausa para a alimentação as mesmas seguem para o pasto ou para suas camas, ou baias em caso de sistemas confinados. 

Quando o sistema é a pasto, as vacas vão em busca de sombra e a ventilação é natural. Quando o tipo do sistema é confinamento, os animais permanecem sob a sombra do telhado com disponibilidade de ventilação forçada e até nebulização em horários estratégicos.

Tanto no sistema a pasto quanto em confinamento o animal tem a liberdade de escolher onde deitar, quando comer ou quando beber água. Após o descanso o processo de ordenha ocorre novamente com intervalo de 12 horas no caso de duas ordenhas ou 8 horas no caso da propriedade optar por duas ordenhas.

Os animais ficam sempre na visão do dono que percebe seu comportamento e quando os mesmos necessitam de cuidado, ou estão com alguma enfermidade.  

O amor a esses animais vem no momento do parto, quando os bezerros nascem frágeis e fortes ao mesmo tempo, e são separadas das mães. Essa realização do desmame nas bezerras, garante a sobrevivência e um crescimento saudável, porque são adaptadas com água e alimentos sólidos como: rações e fenos. O que é natural para elas essa alimentação com fibras.



As bezerras recebem muito amor e carinho de seus cuidadores, que ensinam a consumir alimentos e tem todos os cuidados sanitários e nutricionais para que elas se desenvolvam livres de doenças.

As vacas leiteiras não produzem se não estiverem bem alimentadas ou com problemas sanitários. Tenham a certeza que não existe dor maior do que um produtor de leite perder um de seus animais. As vidas desses produtores se resumem a cuidar dos seus bovinos e a renda gerada com o leite é uma consequência de todos os cuidados que são necessários aos animais.