Intervalos entre partos (IEP)

Avalie este índice reprodutivo constantemente

2 min de leitura
Atualizado há 4 meses | Publicado em 21 . Sep, 2018

Na grande maioria das propriedades produtoras de leite, os dados ainda são todos anotados em papeis, mas há algum problema em anotar em papel? Não há problema algum, antes anotar em papel a não anotar em lugar nenhum, porém, de que adianta ter toda aquela pilha de papel se não podemos extrair nada que favoreça a gestão da fazenda? Os fichários não fazem cálculos sozinhos, portanto, na maioria das vezes não temos conhecimento de importantes números, sendo um deles o intervalo entre os partos.

O intervalo entre partos é um índice reprodutivo que deve ser avaliado constantemente, o ideal seria que o mesmo fosse de 12 meses, ou seja cada vaca deve ter um parto por ano. Para que isso ocorra, os dias em aberto devem ser até os 85 dias após o parto. Para a atividade leiteira ser viável devemos manter um bom ciclo reprodutivo, sendo as vacas dependentes de partos para produzir leite, e quando o intervalo entre partos é prolongado acaba-se tendo perdas com produção, pois, é natural que conforme vai se passando os dias após o parto, os animais baixem inevitavelmente a produção, sendo que este não é o único fator a ser considerado, o número de crias também diminui, as quais podem ser utilizadas como reposição ou comercializadas.

Vamos observar um exemplo entre dois panoramas, uma propriedade com 50 vacas com IEP de 12 meses e outro cenário da propriedade com um IEP de 18 meses, uma produção média de 20 litros por animal o que acumularia numa lactação de 6100 litros (305 dias).


 IEP 12IEP 18
Produção por Lactação(Litros)6.1006.100
Vida Útil(anos)77
Partos/vida útil53,5
Produção total na vida útil35.50021.350
Total de Crias do Rebanho(50 vacas)250175


Apenas uma vaca deixaria de produzir 9.150 litros durante a vida produtiva por animal e aproximadamente dois bezerros a menos. Em um rebanho de 50 vacas as perdas com produção são exageradamente grandes. Se contabilizarmos os 75 bezerros a menos e usarmos na lógica natural da probabilidade de 50% deles nascerem machos e 50% fêmeas a propriedade deixaria de criar 38 novilhas que poderiam ser comercializadas ou criadas para reposição do rebanho, sem contabilizarmos o descarte precoce que acaba ocorrendo devido à ineficiência reprodutiva dos animais. E quando não temos estes números, não é possível identificar os erros e desta forma corrigi-los.

Anotar, calcular e decidir são os passos para uma gestão de sucesso na atividade leiteira.