Dietas para vacas leiteiras

Fornecer uma alimentação balanceada é a chave para ter o máximo de produção.

5 min de leitura
Atualizado há 1 mês | Publicado em 18 . Apr, 2019

A dieta de cada rebanho leiteiro, vai depender da região que eles se encontram e o que se tem de alimento disponível, é bem comum utilizar subprodutos na alimentação das mesmas, tornando-se vantajoso quando se fala em redução de custo de produção.

As vacas são herbívoras ruminantes, diferentes de outros mamíferos, apresentam alta capacidade de converter a celulose em energia, processo pouco desenvolvido em outras espécies. O que torna este processo possível são as bactérias que se encontram dentro do seu rúmen e fazem o processo de quebra da parede celular tornando os nutrientes disponíveis. O processo de ruminação, consiste na regurgitação do bolo alimentar o qual é mastigado e engolido novamente, este processo permite que as bactérias degradem a parede celular e disponibilizem os nutrientes.

Para que o processo de ruminação ocorra perfeitamente, se faz necessário um teor de fibra fisicamente efetiva adequado, com o tamanho das partículas maiores do que 8 mm, sendo este o tamanho mínimo de fibra para o bom funcionamento ruminal. O processo de ruminação vai proporcionar ao animal um equilíbrio biológico, mantendo as bactérias vivas dentro do rúmen e produzindo tamponante na própria saliva, no processo de ruminação, a produção do tamponante é necessário para que se mantenha um pH do rúmen adequado. O não funcionamento adequado leva a doenças metabólicas, como a acidose ruminal que gera perdas em produção, além de desencadear outros problemas como a torção ou deslocamento de abomaso.

Quando falamos em balancear uma dieta, estamos querendo dizer que devemos fornecer aos animais a quantidade de nutriente ideal, para que se obtenha o melhor desempenho dos mesmos. Primeiramente devemos avaliar, para qual categoria de animais estamos preparando uma dieta, classificando os animais por lotes: lotes com alta produção, lotes com média produção, lotes com baixa produção, vacas secas e vacas em pré-parto, entre outros. Cada categoria vai ter uma exigência, de acordo com a sua fase de lactação, tempo de gestação e quantidade de leite produzida. Isso se deve ao fato de que animais em lotes de alta produção apresentam uma exigência em nutrientes muito maior, quando comparadas com as vacas que estão no lote de baixa produção, próximas de encerrar o período de lactação. Por este motivo devemos classificar os animais por lotes, para que seja fornecida a quantidade de alimento necessária para cada categoria, nunca se deve fornecer o alimento de igual proporção para todos os animais da propriedade.

O objetivo de se balancear uma dieta é fornecer aos animais, condições nutricionais adequadas para que os mesmos mantenham seus organismos funcionando em equilíbrio. As vacas necessitam nutrientes para a mantença do seu corpo, para reproduzir, dando continuidade ao ciclo de produção e também precisam produzir leite. O funcionamento de seu corpo é o mais importante, sendo os nutrientes, direcionados para a sua mantença, porém, na grande maioria das vezes as vacas fazem a retirada de suas reservas corporais e direcionam para a produção de leite e na falta de nutrientes elas acabam baixando muito seu escore corporal, chegando a um limite, após este limite a produção de leite passa a ser afetada, com uma diminuição desta quantidade. Se o animal não tem nutrientes disponíveis para a sua mantença, como consequência vai baixar a produção e não vai se reproduzir, vai inibir cios, ou não vai conseguir manter sua gestação, pois se não está conseguindo se manter, como poderá gerar mais uma vida.

O equilíbrio entre proteína, energia, minerais e vitaminas devem ser mantidos, indiferente dos alimentos disponíveis. As dietas devem ser ajustadas conforme cada propriedade e caso haja necessidade de incluir algum suplemento deve ser selecionado visando o bem-estar dos animais. As consequências quando não se diferencia os lotes é dado como doenças, as quais podem ter variações como, mastites, pneumonias entre outras, desenvolvidas devido a uma baixa na imunidade, ocasionada pela escassez de nutrientes, ou quando se tem um aumento de nutrientes vai se ter um aumento no escore corporal o que não é muito interessante para vacas em lactação, pois se o mesmo está depositando gordura em seu corpo não vai estar produzindo leite.

O balanceamento de uma dieta deve ser acompanhado por um profissional da área, que detenha um bom conhecimento em nutrição e deve ser realizado com o auxílio de algum programa especifico para formulação da dieta, alguns programas como: software Spartan REB, RLM 3 Leite, NRC Dairy Cattle, sendo o mais indicado, entre outros programas disponíveis.

Algumas informações sobre os animais devem ser coletadas, tais como: Peso, idade, tempo de gestação, escore corporal, raças dos animais, alimentos disponíveis e suas características, entre outras informações as quais devem ser coletadas quando o profissional fizer a visita na propriedade, a mesma deve ser ajustada a cada alteração de ingrediente que ocorra, no decorrer dos dias.

Fornecendo uma alimentação balanceada é possível se ter o máximo de produção, com um menor desgaste dos animais, permitindo que os mesmos expressem seu potencial produtivo e apresentem longas vidas produtivas, evitando o descarte precoce.