Aumente em até 10 litros ao dia a produção de leite com BST

Descubra como o uso de BST pode aumentar em 10 litros ao dia a produção de leite das suas vacas

4 min de leitura
Atualizado há 4 meses | Publicado em 17 . May, 2021

Até quando é viável o uso de BST na atividade de leite?

Para amenizar os altos custos na produção leiteira, aumentar a produtividade por animal ajuda a diluir os custos. Uma prática comum nas propriedades é introduzir o uso de BST, com o intuito de aumentar a produção de leite por vacas.


Até que ponto se torna viável? Qual o seu efeito sobre a sanidade dos animais?

O BST (somatotropina bovina) é um hormônio de crescimento, também chamado de GH, produzido na adenohipófise e na glândula mamária, tem efeito no desenvolvimento da glândula mamária e reduz a morte das células. Segundo RODRIGUES (2008), o BST altera a partição de nutrientes direcionando-os para a síntese do leite, ou seja, quanto melhor for a dieta, melhores serão os resultados. 

O padrão de resposta à utilização da BST é: aumento gradual da produção de leite poucos dias após a aplicação e máxima resposta produtiva na primeira semana após a aplicação, porém, também há um aumento no consumo. Se não houver nova aplicação de BST, gradualmente a produção de leite retorna aos níveis anteriores. Caso o tratamento seja continuado, o aumento na produção de leite é sustentado. Dessa forma, a aplicação de BST em vacas leiteiras influencia a produção de leite e o formato da curva de lactação. 


Quais são os efeitos na saúde animal?

Estudos realizado por Collier at al. (2001) mostram que não existe relação de uso de BST e casos de mastites. Durante os estudos, se observou que animais que foram aplicados BST necessitaram de maior quantidade de medicamentos para tratar outras enfermidades.


Quando se recomenda usar o BST?

Geralmente são usados após o pico de lactação e de preferência quando os animais estiverem com prenhez confirmada. Isso vai variar conforme a recomendação do médico veterinário responsável pela propriedade. 


Contraindicações

O BST não deve ser aplicado nas seguintes situações:

Quando as vacas estiverem em balanço energético negativo;

Quando as vacas estiverem com problemas sanitários;

Quando houver escassez de alimentos

 

Como medir o resultado?

O objetivo desta aplicação é que se tenha aumento de produção e para saber se está sendo viável podemos usar um cálculo, para descobrir quanto retorno está dando o produto usado. 

Resultado = ((aumento da produção x preço recebido) x 14 ou 21) – custo da dose

Exemplo: Se uma vaca aumentar 10 litros por dia e o preço recebido por litro de leite for 2,00:

O valor gerado por dia será de 20 reais. Você irá multiplicar esse aumento pelo número de dias que a dose tem efeito que geralmente é 14 ou 21 dias. Vamos imaginar que seja 14 dias, então teremos um ganho de 280 litros em 14 dias. Deste valor de 280 você vai subtrair o custo da dose que é em torno de 35,00. Ou seja, o seu ganho foi de R$245 reais para esta vaca. 

Aqui não contamos o aumento de consumo que também deve ser levado em consideração. 

Resultado = ((10 x R$2,00) x 14) – R$35,00

Resultado = R$ 245,00 

 

Após concluir o cálculo é só multiplicar pelo número de vacas que receberam o BST. Para que essa prática seja realizada é importante que um médico veterinário, seja consultado. 

Caso você faça o uso de BST em seu rebanho, temos uma solução que te auxilia com lembretes para não se esquecer o dia de reaplicar a dose. 

Você pode agendar a data no aplicativo Leigado e ele vai enviar uma notificação para te lembrar. Venha conferir o sistema Leigado e conhecer o software para gestão de gado leiteiro mais completo do Brasil. 

 

Referências:
Rennó, F.P;  Lucci, C.S; Silva, A.G.; Rennó, F.P; Rennó, L.N.; Rennó Neto, B.P.; Cecon, P.R.; Barbosa, P.F; Efeito da somatotropina bovina recombinante (rBST) sobre o desempenho produtivo e reprodutivo de vacas da raça Holandesa. Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.58, n.2, p.158-166, 2006.
RODRIGUES, M. Impacto da utilização da somatotropina bovina (BST) sobre a produção de leite e a avaliação genética de bovinos da raça holandesa. 2008. 59p. Dissertação (mestrado) - Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2008.
COLLIER, R. J.; HARTNELL, R. J. Resposta de vacas tratadas com BST nos trópicos e subtrópicos. In: SIMPOSIO SOBRE PRODUÇÃO ANIMAL, 6, Piracicaba, 1989. Anais... Piracicaba, p. 1-9, 1989.